Fashionistando

HYGGE: Você sabe o que significa esse conceito dinamarquês?

  • por em 21 de julho de 2020

Por Débora Braga*

Quando o ranking é sobre a felicidade de um povo, os dinamarqueses sempre figuram entre os três primeiros da lista. O segredinho deles? O estilo de vida hygge!

A palavra é de origem norueguesa, mas foi levada a sério pela cultura dinamarquesa. Em português pronuncia-se “Riuga”. Quanto à tradução, não temos uma palavra literal, mas aproxima-se de bem-estar, acolhimento e conforto.

HYGGE: O ritual de aproveitar os pequenos prazeres da vida

Por ser um país com invernos rigorosos, dias curtos, céu nublado e altos custos dos restaurantes, seus habitantes desenvolveram o hábito de viver bons momentos dentro dos ambientes. Em tempos pandêmicos, nada mais atual, né?! Talvez por isso o mundo inteiro esteja tão interessado no jeito de ser dinamarquês.

Segundo o nativo Meik Wiking, CEO do The Happiness Research Institute e autor do livro A little book of hygge, ser hygge é algo intangível, um estado de espírito, uma sensação agradável de contentamento que naturalmente é refletida em todas as esferas da vida, principalmente no Design de Interiores que, inclusive, é uma obsessão escandinava.

Aconchego & bem-estar

É super hygge ler em uma poltrona macia envolto por uma mantinha e ao lado de um abajur, cozinhar para os amigos e conversar por horas em uma mesa posta com carinho. Também é hygge espalhar seu aromatizante preferido pelos cômodos, olhar para um objeto bonito que era da sua mãe ou tomar um belo banho com um sabonete cheiroso.

E mais: ouvir uma música enquanto aprecia uma xícara da sua bebida favorita assentado em um tapete felpudo, colocar um vaso florido na mesinha de apoio e vários outros costumes que agucem os cinco sentidos.

O lar hygge é um refúgio aconchegante. É um espaço cuidadosamente pensado para criar uma atmosfera intimista. Nele não há ostentação e glamour, mas a simplicidade sofisticada de um espaço atemporal que enaltece o dia-a-dia e reconhece as pequenas alegrias da vida!

Como adaptar a filosofia hygge para o clima brasileiro?

Como nunca foi tão importante sentir-se bem em casa, que tal adaptarmos alguns itens da filosofia hygge para o clima brasileiro?

1. Cerque-se de mantinhas, almofadas, sofás e tapetes com texturas naturais como algodão, crochê, tricô, macramê e linho;

2. Abuse das luzes indiretas amarelas em abajures, arandelas, pendentes e muitas, muitas velas (só não se esqueça de apagá-las antes de dormir, tá?);

3. Prestigie o mobiliário com um bom design de madeira e pedras naturais.

4. Escolha adornos de cerâmica e cestarias de vime, rattan ou palha.

5. Selecione uma paleta de cores neutras e tons pastéis.

6. Cultive plantinhas que sejam próprias para áreas internas.

Enfim, o lar hygge é um conjunto de cantinhos pensados com cuidado (hyggekrog). São composições que aquecem o coração! É um espaço que abraça quem nele adentra. É calmaria e paz. Afinal, como bem nos lembra Bachelard, “sou o espaço onde estou”.

*Débora Braga é designer de interiores & uma verdadeira admiradora do estilo hygge. Para saber mais sobre o assunto ou solicitar orçamentos, envie um e-mail para: adeborabraga@gmail.com.
Instagram: @adeborabraga

Crédito fotos: Pinterest

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.