Fashionistando

8 dicas para controlar a ansiedade em meio à pademia

  • por em 25 de março de 2020

Estamos vivendo tempos difíceis. O medo das consequências da pandemia, aliado ao estresse de não poder sair de casa, tem mexido com a mente da população mundial. Tanto é, que é quase impossível fugir desse assunto. Mas, agora, não vamos falar sobre o vírus e, sim, sobre a sua saúde mental. Você tem cuidado dela, durante esse período tão perturbador?

Com essa chuva de informações que nos atinge por todos os lados, não há como não se deixar abalar. Isso se torna ainda mais grave quando consideramos que o Brasil, segundo a OMS, é o país mais ansioso do mundo. Sim! Pode acreditar. São 18,6 milhões de brasileiros que convivem com esse transtorno, que ainda é um tabu.

Agora, imagine só como esse cenário, ainda desconhecido por todos, pode agravar esses casos e, até mesmo, aumentar o número de ansiosos! Por isso, mais do que nunca, é fundamental e urgente cuidarmos da nossa mente.

Como controlar a ansiedade

Segundo a psicoterapeura Maura Albano as pessoas quando se sentem ansiosas tendem a ter um sentimento de intolerância com a ansiedade e a não suportar isso. “O desafio é lidar com essa ansiedade. Procure entender esses sentimentos, identificar suas origens e, compartilhe com outras pessoas. A terapia é essencial nesse processo”, alerta.

A especialista listou ainda 7 importantes passos para controlar a ansiedade durante o período de isolamento. Confira:

1. Não consuma excesso de informações

Concentre-se apenas em notícias objetivas e de fontes confiáveis. E importante: não ocupe grande parte do seu dia para se informar sobre esse asssunto. Prefira assistir a apenas um telejornal por dia e fuja de informações e imagens alarmistas.

2. Evite pensamentos vitimistas

Esses pensamentos distorcem a realidade. Não veja o isolamento como uma punição e sim uma forma importante para conquistar o bem comum. Ressignifique esse momento para tornar mais leve sua conexão. Essa é uma oportunidade de aprendermos também o que é a solitude na prática (que é saber apreciar a própria companhia), algo que permite reflexão e autoconhecimento.

3. Conecte-se com pessoas

Manter contato com familiares e amigos, ainda que à distância, é uma maneira de evitar a solidão com percepção do abandono. Fazer videochamadas é uma ótima alternativa para reduzir esse distanciamento e tornar o período mais leve.

4. Faça mais por você

Outra forma de ressignificar essa fase é aproveitá-la para cuidar de si próprio. Muitas vezes, no dia-a-dia, esquecemos desse autocuidado. Aproveite para fazer coisas que, na rotina normal, você não tem tempo, seja um ritual de beleza, uma automassagem, um momento de leitura… atividades assim relaxam e aumentam a autoestima.

5. Fuja de pensamentos pessimistas

Não superestime a situação, nem crie hipóteses que sequer aconteceram ainda. Concentre-se apenas em fatos presentes.

Assim como no caso da vitimização, os pensamentos pessimistas são uma distorção da realidade, que impedem que enxerguemos aspectos positivos em um novo cenário. No mundo interior acaba ficando negativista e gerar padrões de comportamentos autodestrutivos.

6. Estabeleça uma rotina

Isso ajuda na realização dos nossos propósitos, mesmo que seja dentro de casa. Mantenha sua agenda em dia e estabeleça compromissos diários dentro de casa e faça check list. Isso ajuda a evitar a inatividade, que gera desânimo e letargia.

7. Aprenda a meditar

São vários os estudos que mostram os benefícios da meditação no combate da depressão e ansiedade. Trinta minutos diários dessa prática já ajudam no alívio dos sintomas dessas doenças. Você pode procurar aplicativos no celular que promovem a meditação guiada. Se quiser começar sozinho, também é fácil:

  • Escolha um lugar tranquilo em casa, fique em uma posição confortável e feche os olhos. Foque na sua respiração, procurando deixá-la leve e uniforme. Comece meditando por cinco minutos e, à medida que for se sentindo mais confortável com a prática, aumente gradativamente.

8. Exercite-se em casa

Há uma infinidade de aplicativos e canais no Youtube que oferece aulas para quem não quer deixar de se exercitar. Isso é importante não apenas para preencher o tempo, mas principalmente por contribuir para uma maior produção de endorfina e melhorar os níveis de serotonina e noradrenalina.

Conta para a gente o que tem feito para manter a mente saudável em meio à pandemia?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.